* *

Este é seu Idioma.? Traduza.

menu suspenso

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

OS 500 ANOS DA REFORMA 31/10/17

Cinco solas são frases latinas que definem princípios fundamentais da Reforma Protestante em contradição com os ensinamentos da Igreja

 


Os principais Reformadores: Lutero, Úlrico Zwinglio, Guillherme Farel, João Calvino e John Knox.

AS CINCO SOLAS

Cinco solas são frases latinas que definem princípios fundamentais da Reforma Protestante em contradição com os ensinamentos da Igreja Católica Apostólica Romana. A palavra latina "sola" significa "somente" em português. Os cinco solas sintetizam os credos teológicos básicos dos reformadores, pilares os quais creram ser essenciais da vida e prática cristã. Todos os cinco implicitamente rejeitam ou se contrapõem aos ensinamentos da Igreja Católica Apostólica Romana.

  1 Os cinco solas:
1.1 Sola fide (somente a fé)
1.2 Sola scriptura (somente a Escritura)
1.3 Solus Christus (somente Cristo)
1.4 Sola gratia (somente a graça)
1.5 Soli Deo gloria (glória somente a Deus)

Sola fide (somente a fé)

Sola fide é o ensinamento de que a justificação (interpretada na teologia protestante como "sendo declarada apenas por Deus") é recebida somente pela fé, sem qualquer interferência ou necessidade de boas obras, embora na teologia protestante clássica, a fé salvadora é sempre evidenciada, mas não determinada, pelas boas obras. Alguns protestantes vêem esta doutrina como sendo o resumo da fórmula "fé produz justificação e boas obras" e em contraste com a fórmula católica apostólica romana "fé e boas obras rendem justificação". O argumento católico é baseado na Epístola de Tiago (Tiago 2:14–17):

“ De que serve, meus irmãos, se alguém disser que tem fé se não tiver obras? Acaso pode essa fé salvá-lo? Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e necessitarem do pão quotidiano, e algum de vós lhes disser: "Ide em paz, aquentai-vos e saciai-vos," e não lhes derdes o que é necessário para o corpo, que lhes aproveita? Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma. ”

É importante a comparação do que católicos/protestantes entendem como "justificação": ambos concordam que o termo invoca a comunicação dos méritos de Cristo para com os pecadores, e não uma declaração de ausência de pecado. Lutero usou a expressão simul justus et peccator ("ao mesmo tempo, justo e pecador"). O Catolicismo Romano vê a justificação como uma comunicação de vida de Deus ao ser humano, limpando-o do pecado e transformando-o realmente em filho de Deus, de modo que não é apenas uma declaração, mas a alma é tornada de fato objetivamente justa.

A visão protestante da justificação é que ela é a obra de Deus através dos meios da graça. A fé é a justiça de Deus, que é realizada em nós através da palavra e dos "sacramentos". Lei e evangelho trabalham para matar o ego pecaminoso e para realizar a nova criação dentro de nós. Esta nova criação dentro de nós é a fé de Cristo. Se não temos essa fé, então somos ímpios. Indulgências, ou orações não acrescentam nada e nada são. Todos possuem algum tipo de fé (geralmente a fé em si mesmos). Mas precisamos de Deus para destruir continuamente fé hipócrita e substituí-la com a vida de Cristo. Precisamos da fé que vem de Deus através da Lei e do evangelho, palavra, obras e sacramentos. No documento fundador da Reforma, as 95 teses,[1] Lutero diz que:

“ 1 – Dizendo nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo: "Arrependei-vos..." (Mateus 4:17) certamente quer que toda a vida dos seus crentes na terra seja contínuo arrependimento.
 – E assim esperem mais entrar no Reino dos céus através de muitas tribulações do que facilitados diante de consolações infundadas. (Atos 14:22). ”
A verdadeira distinção, portanto, entre as visões protestante e católica não é uma questão de "ser declarado justo" versus "ser feito justo", mas sim o meio pelo qual um é justificado. Na teologia católica obras de justiça são consideradas meritórias para a salvação além da fé, enquanto que na teologia protestante, obras de justiça são vistos como o resultado e evidência de uma verdadeira justificação e regeneração que o crente recebeu somente pela fé.

Os meios eficazes reais pelos quais uma pessoa recebe a justificação são também uma divisão fundamental entre a crença católica e protestante. Na teologia católica, o meio pelo qual a justificação é aplicada para a alma é o sacramento do batismo. No batismo, mesmo das crianças, a graça da justificação e santificação são "infundidas" na alma, tornando o destinatário justificado, mesmo antes que ele exerça sua própria fé (ou mesmo no caso de uma criança que é batizada, antes mesmo que ele tenha a capacidade de compreender conscientemente o Evangelho e responder com fé). Na teologia católica, a fé não é um pré-requisito para a justificação. Para os católicos, a função do batismo é "ex operere operato" ou "por obra do ato", e, portanto, é o ato eficaz e suficiente para trazer justificação. Na teologia protestante, no entanto, é absolutamente necessária a fé do indivíduo e é por si mesma a resposta eficiente e suficiente do indivíduo para os efeitos da justificação.
 

A doutrina Sola fide é às vezes chamada de princípio formal e material da teologia da Reforma, porque era a questão doutrinal central para Martinho Lutero e os outros reformadores. Lutero chamou de "doutrina pela qual a igreja permanece ou cai" (latim: articulus stantis et cadentis ecclesiae).

 

Sola scriptura (somente a Escritura)

Sola Scriptura é o ensinamento de que a Bíblia é a única palavra autorizada e inspirada por Deus e é única fonte para a doutrina cristã, sendo acessível a todos. Afirmar que a Bíblia não exige interpretação fora de si mesma está em oposição direta aos ensinamentos das tradições ortodoxa, ortodoxa oriental, anglo-católica e católica romana, que ensinam que a Bíblia só pode ser autenticamente interpretada pela tradição católica. Na Igreja Católica, este ensinamento é referido como o magistério da Igreja Católica, e incorporada ao episcopado, agregando os bispos da Igreja, em união com o Papa.

Sola scriptura é às vezes chamada de princípio formal da Reforma, uma vez que é a fonte e norma de princípio, o material, o Evangelho de Jesus Cristo que é recebido sola fide ("através da fé") sola gratia (por favor de Deus, ou "graça"). O adjetivo (sola) e o substantivo (scriptura) estão no caso ablativo em vez do caso nominativo para indicar que a Bíblia não está sozinha longe de Deus, mas, sim, que é o instrumento de Deus pelo qual ele se revela para a salvação pela fé em Cristo (Solus Christus). Como em Mateus 4:4

“ Mas Jesus respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. ”
 

Solus Christus(Somente Cristo)

Solus Christus ou Solo Christo é o ensinamento de que Cristo é o único mediador entre Deus e a humanidade, e que não há salvação através de nenhum outro (por isso, a frase é mostrada às vezes em caso ablativo (Cristo somente/sozinho) o que significa que a salvação é "somente por Cristo"). Ao rejeitar todos os outros mediadores entre Deus e a humanidade, o luteranismo clássico continua a honrar a memória da Virgem Maria e de outros santos exemplares. Este princípio rejeita o sacerdotismo, que é a crença de que não existem sacramentos da igreja sem os serviços de sacerdotes ordenados por sucessão apostólica, sob a autoridade do papa.
 

Lutero pregou o "sacerdócio geral dos batizados", que mais tarde foi modificado no luteranismo e na teologia protestante clássica para "sacerdócio de todos os crentes", negando o uso exclusivo do título de padre (latim: sacerdos) para o clero. Este princípio não nega a função do ministério sagrado para o qual está comprometida a proclamação pública do Evangelho e da administração dos sacramentos. Desta forma, Lutero em seu Catecismo Menor podia falar sobre o papel de um "confessor" para conferir absolvição sacramental a um penitente.

A seção neste catecismo conhecido como "O Gabinete das Chaves" (não escrita por Lutero, mas acrescentada com a sua aprovação) identifica os chamados "ministros de Cristo" como sendo os que exercem o ligar e desligar de absolvição e excomunhão através do ministério da Lei e Evangelho. Esta é definida na fórmula Luterana da santa absolvição: o "chamado e ordenado servo da Palavra" perdoa pecados dos penitentes (fala as palavras do perdão de Cristo: "Eu perdoo todos os seus pecados"), sem qualquer adição de penitências ou satisfações e não como um intercessor ou "sacerdote mediador", mas "em virtude da sua função como um chamado e ordenado servo da Palavra" e "em lugar e pelo comando da nosso Senhor Jesus Cristo".

 Nesta tradição, a absolvição do penitente reconcilia-o com Deus diretamente, mediante a fé no perdão de Cristo, em vez de ter o padre e a Igreja como mediadores entre o este e Deus.

Sola gratia (somente a graça)

Sola gratia é o ensinamento de que salvação vem por graça divina ou "favor imerecido" apenas, e não como algo merecido pelo pecador. Isto significa que a salvação é um dom imerecido de Deus por causa de Jesus. Alguns[quem?] referem-se a ele como um "débito" presente desde que os incrédulos viveram de tal forma que perderam qualquer dom de Deus. Enquanto outros[quem?] afirmam que esta doutrina é o oposto das "boas obras" e choca-se com alguns dos aspectos da doutrina católica do mérito. É possível afirmar que, neste ponto, não está em desacordo com o ensino católico romano, enquanto a doutrina de que a graça é verdadeiramente sempre um dom gratuito de Deus e é realizada de acordo entre os dois pontos de vista. A diferença na doutrina encontra-se principalmente em dois fatos:

1º - Deus como o único ator na graça (em outras palavras, que a graça é sempre eficaz sem qualquer cooperação pelo ser humano).
2º - O ser humano não pode, por qualquer ação da sua parte, sob a influência da graça, cooperar com "mérito" para obter maiores graças para si (esta seria doutrina da Igreja Católica Romana).
 

Esta doutrina declara o monergismo divino na salvação: Deus age sozinho para salvar o pecador. A responsabilidade para a salvação não repousa sobre o pecador em qualquer grau de sinergia ou arminianismo. O Luteranismo sustenta que esta doutrina não deve ser mantida para a exclusão da gratia universalis (que Deus deseja seriamente a salvação de todas as pessoas).
 

Protestantes arminianos também podem reivindicar a doutrina da sola gratia (mas a entendem de forma diferente) e, geralmente, negam que o termo "sinergismo" seja apropriado para descrever suas crenças. Arminianos acreditam que Deus salva somente pela graça e não por mérito, mas o ser humano, habilitado pelo que é conhecido como graça preveniente, está habilitado pelo Espírito Santo para entender o Evangelho e responder na fé.

Os arminianos acreditam que isto é compatível com a salvação somente pela graça, uma vez que toda a salvação seja obtida pela graça. Arminianos acreditam que o ser humano só é capaz de receber a salvação quando levado primeiro a fazê-lo pela graça preveniente, que eles acreditam ser distribuída a todos. Os arminianos, portanto, não rejeitaram a concepção de sola gratia exposta pelos teólogos da Reforma.
 

Soli Deo gloria (glória somente a Deus)

Soli Deo gloria é o ensinamento de que toda a glória é devida somente a Deus, pois a salvação é realizada unicamente através de sua vontade e ação e não só da toda suficiente expiação de Jesus na cruz, mas também o dom da fé em que a expiação é criada no coração do crente pelo Espírito Santo.

Os reformadores acreditavam que os seres humanos, mesmo santos canonizados pela Igreja Católica Romana, os papas e a hierarquia eclesiástica não eram dignos da glória que lhes foi concedida, isto é, não se deve exaltar tais pessoas por suas boas obras, mas sim louvar e dar glória a Deus, que é o autor e santificador dessas pessoas e suas boas obras.
 

No entanto, os que discordam deste princípio argumentam que, como estas pessoas são objetos de boa qualidade e raros, devem ser homenageados e elogiados. Há um grande número de homens benevolentes cujas imagens foram replicadas em pedra e expostos para a celebração do bem estes fizeram para a raça humana.

Bons homens poderiam e deveriam ser honrados por causa da glória que deram a Deus, e ao fazê-lo, ao mesmo tempo estar-se-ia honrando a Deus por sua bondade em criá-los. Porém, do ponto de vista bíblico, como muitos homens de Deus homenagearam e se prostraram a outros antes do advento do evangelho, mas a partir do ministério e doutrina de Jesus Cristo, lê-se palavras contrárias a tais práticas: como Pedro e João recusando receber honra após a cura do paralítico no templo, a recusa de Pedro a Cornélio se prostrar a ele, ordenando fazê-lo somente a Deus, como Paulo e Barnabé recusando receber sacrifícios e ofertas como deuses em Listra, após a cura do paralítico (At.14:8-18), e o anjo que recusa a prostração honrosa de João do Apocalipse dizendo: "Vê, não faças isso; eu sou conservo teu, dos teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus." (Ap.22:9) ......................Sociedade Bíblica do Brasil. (2003). Tradução Almeida Revista e Atualizada, com números de Strong.

Obs..do Compilador: Algumas religiões ou seitas atribuem milagres ou favores as estátuas feitas de pedra destes personagens bem como a gravuras ou fotos,confiam nestas coisas e esquecem do autor e consumador de nossa fé O Nosso Senhor Jesus Cristo.

Artigo compilado da Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

SINOPSE DA BÍBLIA 500 anos da Reforma 31/10/2017

Sínopse da Bíblia

 

BÍBLIA Formada por 66 livros contendo estórias, profecias e orientações para uma vida devotada, a Bíblia é a mensagem de Deus para o seu povo. De Moisés ao apóstolo Paulo, Deus inspirou homens para registrar suas palavras a fim de transmiti-las a outras pessoas. É ferramenta para entendimento da vontade de Deus para nossas vidas. É uma revelação especial de Deus. Explica como Ele é, como espera que nos comportemos e as conseqüências de aceitarmos ou rejeitarmos sua mensagem. É um dos livros mais traduzidos e lidos no mundo todo. Proclama a obra amorosa e redentora de Deus para os que não conhecem Jesus Cristo. Tem tocado milhares de corações com suas promessas de esperança. A Bíblia revela quem Deus é, o que Cristo fez por nós e como devemos viver para refletir sua maravilhosa obra em nós.

VELHO TESTAMENTO Formado por 39 livros escritos originalmente em hebraico, é um relato histórico da obra de Deus na terra antes do nascimento de Jesus. Moisés, Isaías, Daniel e Davi estão entre os escritores que durante milhares de anos escreveram o Velho Testamento, que se divide em 3 partes principais: História, Poesia e Profecia.

OS LIVROS HISTÓRICOS Começam com os 5 livros de Moisés, formando o Pentateuco. Eles contêm a história da criação do universo, Adão e Eva no Jardim do Édem, o grande Dilúvio, o êxodo dos israelitas da escravidão no Egito. O Pentateuco também contém as primeiras leis de Deus para seu povo. Elas foram dadas a Moisés nos Dez Mandamentos (Êxodo 20:1-17) e ensinavam os israelitas a honrarem a Deus em tudo que fizessem. Depois que tomaram posse da terra que Deus os havia prometido, os israelitas se tornaram uma nação poderosa. Começando com a escolha de Saul como primeiro rei de Israel, os livros históricos contam os feitos do rei Davi, seu filho Salomão e os que os sucederam. Alguns reis, como Asa, seguiram as leis de Deus e foram abençoados. Outros, como Acabe, Foram desobedientes e adoraram ídolos. Por causa disso, Deus disse que destruiria o reino de Israel, que seria conquistado e escravizado pelos impérios da Assíria e da Babilônia.

OS LIVROS POÉTICOS No centro do Velho Testamento há 5 livros poéticos escritos principalmente pelos reis Davi e Salomão. Esses livros incluem canções de louvor a Deus (os Salmos), princípios de sabedoria (Provérbios e Eclesiastes) e um maravilhoso poema de amor entre uma noiva e um noivo (Cântico dos Cânticos). Neles encontramos maravilhosas meditações sobre o amor de Deus por nós, seu poder sobre toda a criação e seu desejo do nosso respeito e temor.

OS LIVROS PROFÉTICOS Vêm depois dos livros poéticos e foram escritos por cerca de dezesseis diferentes autores. Isaías, Jeremias e Daniel, que escreveram livros mais longos, são os profetas maiores. Ageu, Zacarias e Malaquias estão entre os profetas menores, cujos livros são mais curtos. Esses livros falam do desapontamento de Deus porque Israel não seguiu suas ordens, relembram ao povo o amor incondicional de Deus por ele, além de apregoarem a vinda do Messias que redimiria Israel para sempre.

O NOVO TESTAMENTO Seus 27 livros escritos foram escritos em grego e num espaço de cerca de 50 anos. Sua mensagem principal se refere à obra redentora de Jesus Cristo e à primitiva igreja cristã, mas também oferece preciosos mandamentos sobre a vida com Deus. Pode ser dividido em 3 partes: Evangelhos, as Epístolas e Profecia.

OS EVANGELHOS Os quatro primeiros livros do Novo Testamento são os Evangelhos, que contam a história do nascimento, vida, morte e ressurreição de Jesus. Eles também relembram os ensinamentos de Jesus para seus discípulos, como segui-lo e continuar sua obra depois de seu retorno ao céu. Em seguida, vem o livro de Atos onde estão registrados os primórdios da igreja e a obra dos discípulos de Jesus realizando milagres e pregando o Evangelho.

AS EPíSTOLAS Seguindo Atos vêm as epístolas ou cartas que o apóstolo Paulo e outros escreveram para encorajar os primeiros cristãos na sua caminhada com Jesus. As cartas nos proporcionam ricas diretrizes sobre os desejos de Deus para a nossa atividade diária.

O LIVRO PROFÉTICO O último livro do Novo Testamento é Apocalipse, um livro profético que detalha a próxima vinda de Cristo à terra.

A VERDADE E AUTORIDADE DA BíBLIA Muitas pessoas afirmam que toda verdade é relativa e que não existe um Deus autoritário. Para elas, Cristianismo é uma questão de opinião ou preferência, pois não há um conjunto de crenças absolutamente verdadeiras. Mas Deus nos deu o majestoso universo como lembrança da Sua autoridade e do desejo íntimo de nosso relacionamento com Ele.

A Bíblia é a "revelação especial" de Deus. Ela nos relembra nossa natureza pecadora e nossa responsabilidade diária para com Deus e seus mandamentos. Com a sua leitura aprendemos que Deus é todo-poderoso e tem autoridade ilimitada sobre todas as pessoas. Quando rejeitamos seus ensinamentos, estamos rejeitando a Deus e negando a autoridade que Ele tem sobre toda a Criação. Rejeitar a Deus não é fato novo. Os israelitas vagaram no deserto porque não creram que Deus os protegeria.

O Rei Acabe erigiu ídolos a falsos deuses. Jonas se negou a ir para Nínive apesar da ordem de Deus. Quando ignoramos as promessas de bênçãos de Deus sobre nós, estamos deliberadamente desobedecendo a Sua pessoa e seguindo nossos próprios desejos e vontades. A Bíblia nos alerta da autoridade eterna de Deus sobre todas as pessoas. Muitas dessas mesmas pessoas que negam a autoridade de Deus também dizem que a Bíblia não é verdadeira porque homens - propensos a erros - a escreveram. É certo que se os escritores bíblicos não eram pessoas perfeitas, a Bíblia é clara em afirmar que foi um trabalho inspirado por Deus e, portanto, perfeito.

O apóstolo Paulo escreve que toda Escritura é "inspirada por Deus (II Tímóteo 3:16) e Pedro explica que "nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana, entretanto homens falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo" (II Pedro 1:21). Isto inclui o Velho e o Novo Testamento. A Palavra de Deus é revestida de autoridade para que possamos conhecer a verdade.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Vicio

Estudo Comentário

 

COMENTÁRIOS BÍBLICOS - ESBOÇO

Fonte: Ilumina (Adaptado)

 

VÍCIO, A PALAVRA DE DEUS SOBRE

 

Quem, em sã consciência, deseja ser escravo, acorrentado para sempre à servidão? Mas é justamente isto que é a dependência, ou o vício: uma escravidão auto-imposta, vendendo-nos a uma vida de escravidão a um hábito ou substância. Embora imaginemos que dependência tem a ver com drogas ou álcool, existem outros vícios igualmente destrutivos. Podemos ser viciados em trabalho, mediocridade, ou um estilo de vida doentio. Todos nós somos viciados em alguma coisa, seja vícios "menores"ou seja perigosos, como álcool e drogas. Nosso principal vício é o pecado. Gostamos de fazer a coisa errada. Ironicamente, a única saída é depender de Deus e do seu Espírito. Continuamos dominados, mas o seu controle é para nosso próprio benefício e saúde, não a destruição. O poder transformador de Deus é a única coisa que pode nos libertar dos vícios.

 

O VÍCIO INCLUI MAIS QUE O ABUSO DE SUBSTÂNCIAS

2 Pedro 2:19...prometendo-lhes liberdade, quando eles mesmo são escravos da corrupção, pois aquele que é vencido fica escravo do vencedor.

 

A chave do vício é o controle, ou seja, o que o controla. Porque você é escravo daquilo que o controla.

 

NOSSO MAIOR VÍCIO É O PECADO

Romanos 6:19-20...Porque, quando éreis escravos do pecado, estáveis isentos em relação à justiça.

 

Todos pecaram. A única cura completa do pecado é a fé em Jesus Cristo.

 

MAS EU SOU ADORADOR DE DEUS. APENAS SOU DEVOTADO A OUTRAS COISAS TAMBÉM. ISTO ESTÁ ERRADO?

Mateus 6:24...Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ouse devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

 

Você tem que avaliar quem, ou o que, é mais importante para você. Uma pista para o determinar é verificar o que ocupa a maior parte do seu tempo.

 

QUAL A MELHOR MANEIRA DE ME LIVRAR DOS MEUS VÍCIOS?

Romanos 6:16...Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para a obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça?

 

A submissão é uma escolha. Estamos sempre numa encruzilhada, escolhendo entre o caminho do pecado ou o de Deus. Os caminhos não são nossos, mas a escolha é.

 

SE NÃO DEVEMOS NOS SUBMETER A NADA, PORQUE NOS SUBMETERMOS AO CONTROLE DO ESPÍRITO SANTO?

Gálatas 5:22-23...Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.

Romanos 8:5-9...Se a sua natureza pecaminosa controla sua mente, há morte. Mas se o Espírito Santo controla sua mente, há paz e vida.

 

O controle de Deus é o único controle que resulta em coisas completamente positivas.

 

VANTAGEM TIRAR

Estudo Comentário

 

COMENTÁRIOS BÍBLICOS - ESBOÇO

Fonte: Ilumina (Adaptado)

 

VANTAGEM, TIRAR

 

 

O QUE PODE TENTAR UMA PESSOA A TIRAR VANTAGEM DE OUTRA?

1 Samuel 24:4-7 . . . Este é o dia do qual o Senhor te disse: Eu te dou o teu inimigo nas tuas mãos, e far-lhes-ás como parecer bem aos teus olhos. Então Davi levantou-se, e de mansinho cortou a orla do manto de Saul. Depois doeu o coração de Davi, por ter cortado a orla do manto de Saul. "O Senhor me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, ao ungido do Senhor, que eu estenda a minha mão contra ele; pois é o ungido do Senhor."

A tentação de popularidade e controle pode causar que nós tiremos vantagem dos outros. Precisamos também nos certificar que o conselho dos outros é focado em Deus ao invés de em si próprio

Zacarias 7:10 . . . Não oprimais a viúva, nem o órfão, nem o estrangeiro, nem o pobre, nem intente o mal cada um contra o seu irmão no seu coração.

Deuteronômio 24:14 . . . Não explorarás o assalariado pobre e necessitado, seja ele teu irmão, seja ele estrangeiro que mora na tua terra e nas tuas cidades.

2 Timóteo 3:5-6 . . . tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-te também destes. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias, levadas de várias concupiscências;

 

O vulnerável frequentemente atrai aqueles que tiram vantagens dos outros.

 

Gênesis 27:35-36 . . . Respondeu Isaque: Veio teu irmão, e com sutileza tomou a tua benção. Disse Esaú: Não se chama ele com razão Jacó, visto que já duas vezes me enganou? Tomou-me o direito de primogenitura e agora me tirou a benção. Disse ainda: Não reservaste benção alguma para mim?

Romanos 16:18 . . . Pois os tais não servem a Cristo nosso Senhor, mas ao seu ventre. Com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos incautos.

 

Aqueles que estão mais interessados nos seus próprios interesses frequentemente tiram vantagem dos outros.

 

Ezequiel 22:27 . . . Os seus príncipes no meio dela são como lobos que arrebatam a presa para derramarem o sangue, para destruírem as almas, para seguirem a avareza.

Jeremias 23:10 . . . A terra está cheia de adúlteros; por causa da maldição a terra chora, e os pastos dos desertos se secam. O caminho dos adúlteros é a maldade, e a sua força a injustiça.

Miquéias 7:3 . . . As suas mãos fazem diligentemente o mal; o príncipe exige condenação, o juiz aceita suborno, e o grande fala da corrupção da sua alma, e assim todos eles são perturbadores.

 

Poder e dinheiro frequentemente se juntam para tentar alguns a tirar vantagem de outros.

 

QUAIS SÃO OS RESULTADOS DE TIRAR VANTAGEM DE OUTROS?

 

Deuteronômio 24:15 . . . No mesmo dia lhe pagarás o seu salário, para que o sol não se ponha sobre a dívida, pois ele é pobre, e disso depende a sua vida; para que não clame contra ti ao Senhor, e haja em ti pecado.

Isaías 3:14 . . . O Senhor vem em juízo contra os anciãos do seu povo, e contra os seus príncipes: Sois vós os que consumistes esta vinha; o espólio do pobre está em vossas casas.

João 2:15-16 . . . Tendo feito um chicote de cordas, lançou a todos fora do templo, bem como os bois e as ovelhas; espalhou o dinheiro dos cambistas, derrubou as mesas, e disse aos que vendiam pombas: Tirai daqui estas coisas! Como ousais transformar a casa de meu Pai em mercado!

 

O Senhor considera pecado tirar vantagem dos outros. Aqueles que tiram vantagem dos outros serão julgados.

 

Mateus 21:13 . . . E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração, mas a tendes convertido em covil de ladrões.

 

Tirar vantagem dos outros pode interferir na adoração.

 

Salmos 25:3 . . . Na verdade, não serão confundidos os que esperam em ti, mas confundidos serão os que procedem traiçoeiramente sem causa.

Jó 24:20-21 . . . A madre se esquecerá dele, os vermes o comerão gostosamente; nunca mais haverá lembrança dele, e a iniquidade se quebrará como árvore. Aflige e estéril que não dá a luz, e não faz bem à viúva.

Provérbios 26:26 . . . Ainda que o seu ódio se encobre com engano, a sua malícia será relevada na congregação.

 

Aqueles que tiram vantagem dos outros, eventualmente serão expostos e envergonhados.

COMO DEVEMOS REAGIR QUANDO OS OUTROS TIRAM VANTAGEM DE NÓS?

 

Gênesis 31:7 . . . mas vosso pai tem me enganado, e dez vezes mudou o meu salário. Porém Deus não permitiu que ele me fizesse mal.

Provérbios 22:22-23 . . . Não roubes ao pobre, porque é pobre, nem oprimas o aflito em juízo, e aos que os roubam lhes tirará a vida.

Ezequiel 34:22 . . . eu livrarei as minhas ovelhas, para que não sirvam mais de pressa, e julgarei entre ovelhas e ovelhas.

1 Pedro 2:23 . . . Quando foi injuriado, não injuriava, e quando padecia não ameaçava. Antes, entregava-se àquele que julga justamente.

 

Nós temos que confiar que Deus é a nossa proteção, o nosso último defensor e juiz justo. Como que poderia ser melhor para nós?

PROMESSAS DE DEUS:

 

Provérbios 2:6-9 . . . Porque o Senhor dá a sabedoria, da sua boca vem o conhecimento e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos, escudo é para os que caminham na sinceridade, pois guarda as veredas do justo, e protege o caminho dos seus santos. Então entenderás a justiça, o juízo, a equidade e todas as boas veredas.

Romanos 6:13 . . . Nem tão pouco apresentais os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade, mas apresenta-vos a Deus, como vivos dentre os mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça.

 

 

VANTAGEM

Estudo Comentário

 

COMENTÁRIOS BÍBLICOS - ESBOÇO

Fonte: Ilumina (Adaptado)

VANTAGEM

 

PORQUE É ERRADO TIRAR VANTAGEM DOS OUTROS?

 

LEITURA BÍBLICA: 1 Samuel 2:12-26

VERSíCULO CHAVE: Se lhe respondia o homem: Queime-se primeiro a gordura, e depois tomarás o que quiseres, então ele lhe dizia: Não, hás de dá-la agora; se não, toma-la-ei à força. Era muito grande o pecado destes moços perante o Senhor, pois desprezavam a oferta do Senhor. (1 Samuel 2:16-17)

 

TIRAR VANTAGEM DOS OUTROS É ARROGÂNCIA PECAMINOSA.

Foi estipulado na Lei que o povo supriria todas as necessidades dos levitas (Números 18:20-24; Josué 13:14, 33).Como os filhos de Eli eram sacerdotes, eles seriam cuidados desta mesma maneira. No entanto, eles tiraram vantagem desta posição de confiança para satisfazer o seu desejo de luxúria, poder, posses e controle. O seu desprezo e arrogância para com o povo e para com a adoração a Deus pôs em perigo a integridade de todo o sacerdócio.

Eli sabia que seus filhos eram maus, mas fez muito pouco para corrigi-los e pará-los, mesmo quando a integridade do santuário de Deus estava ameaçada. Como sumo-sacerdote, Eli deveria ter executado seus filhos (Números 16:16-38). Sem dúvida Eli escolheu não confrontar a situação. Mas por causa dessa escolha, Eli deixou que seus filhos estragassem suas vidas e consequentemente de muitos outros. Há tempos na vida quando problemas sérios tem que ser confrontados, mesmo que as consequências sejam dolorosas.

 

LEITURA BÍBLICA: Mateus 21:12-17

VERSíCULO CHAVE: Entrou Jesus no templo, e expulsou a todos os que aí vendiam e compravam, e derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas. (Mateus 21:12)

 

TIRAR VANTAGEM DAS PESSOAS É DESRESPEITO PARA COM DEUS.

Essa é a segunda vez em que Jesus esvaziou o templo (veja João 2:13-17). Comerciantes e cambistas colocaram as suas barracas no átrio dos gentios no templo, expulsando os gentios que vinham de toda parte do mundo civilizado adorar a Deus. Os comerciantes vendiam animais para sacrifício a preços exorbitantes, tirando assim vantagem daqueles que tinham vindo de longe. Os cambistas trocavam todo o dinheiro internacional por uma moeda especial - a única moeda que os comerciantes aceitavam. Eles geralmente enganavam os estrangeiros que não sabiam o valor do câmbio. O comércio na casa de Deus frustravam as tentativas de adoração das pessoas. Isso, logicamente, deixou Jesus furioso. Qualquer prática que interfira na adoração a Deus tem que ser parada.

 

COMO PODEMOS EVITAR TIRAR VANTAGEM DOS OUTROS?

 

LEITURA BÍBLICA: Deuteronômio 24:10-22

VERSíCULO CHAVE: Se emprestares alguma coisa a teu próximo, não lhe invadirás a casa para te garantires com algum penhor(Deuteronômio 24:10)

 

ENTENDA QUE DEUS NOS RESPONSABILIZARÁ PELO MODO QUE TRATAMOS OS OUTROS.

Deus falou ao seu povo para tratar o pobre com justiça.As pessoas sem poder e pobres são frequentemente vistas como incompetentes ou preguiçosas, quando, de fato, podem ser vítimas da opressão ou da circunstância.Deus fala que precisamos fazer tudo o que pudermos para ajudar essas pessoas. Sua justiça não permitia que os israelitas tivessem lucro ou pagamento rápido daqueles que não tinham condições. Ao invés disso, suas leis davam ao pobre todas as oportunidades para melhorara a sua situação, enquanto dava opções humanas para quilos que não podiam. Nós somos chamados para tratar o pobre justamente e ver que todas as suas necessidades foram supridas.

LEITURA BÍBLICA: Mateus 18:1-9

VERSíCULO CHAVE: Naquela mesma hora os discípulos se aproximaram de Jesus, perguntando: Quem é o maior no reino dos céus? (Mateus 18:1)

 

ENTENDA QUE TIRAR VANTAGEM É UMA FORMA DE INSEGURANÇA.

Os discípulos ficaram tão preocupados com a organização do reino terreno de Jesus, que eles esqueceram de seu propósito divino. Ao invés de procurar um lugar de serviço, eles procuravam posições vantajosas. É muito fácil nós perdermos a nossa perspectiva eterna e sair competindo por promoções ou status dentro da igreja. è muito difícil identificar com as "crianças" - pessoas fracas e dependentes sem status ou influência.

 

 

SOZINHO

Estudo Comentário

 

COMENTÁRIOS BÍBLICOS - ESBOÇO

Fonte: Ilumina (Adaptado)

 

SOZINHO

 

NÃO HÁ MELHOR HORA PARA SERVIR A DEUS DO QUE O PRESENTE.

Uma vida sem Deus pode produzir uma velhice amarga, solitária e sem esperança. Uma vida centrada em Deus faz a velhice ser mais satisfatória, pois quando as incapacidades, doenças e deficiências se tornam uma barreira para curtir a vida há a esperança da vida eterna. Ser jovem é excitante. Mas, isso pode se tornar uma barreira na intimidade com Deus se fizer os jovens focarem nos prazeres da vida ao invés de valores eternos. Deixe a sua força disponível para Deus enquanto ainda é sua - nos anos de sua juventude. Não a desperdice em coisas más ou sem importância que se tornam maus hábitos. Procure Deus agora.

 

QUAL A IMPORTÂNCIA DE TEMPOS DE SOLIDÃO?

LEITURA BÍBLICA: Mateus 14:22-36

VERSíCULO CHAVE: Despedida a multidão, ele subiu ao monte para orar à parte. Ao cair da tarde, estava ali sozinho.. (Mateus 14:23)

 

JESUS SEPARAVA UM TEMPO PARA FICAR EM SILÊNCIO.

Procurar momentos de solidão era uma prioridade importante para Jesus (veja também Mateus 14:13). Ele encontrava um tempo na sua agenda lotada para ficar sozinho com o Pai. Passar tempo com Deus em oração alimenta um relacionamento vital e nos equipa para enfrentar os desafios e as lutas da vida. Desenvolva a disciplina de ficar um tempo sozinho com Deus - ajudará você a crescer espiritualmente e se tornar cada vez mais parecido com Jesus.

 

LEITURA BÍBLICA: Lucas 5:12-16

VERSíCULO CHAVE: Ele, porém, se retirava para lugares desertos, e orava. (Lucas 5:16)

 

A SOLIDÃO ERA UM HÁBITO ATÉ MESMO PARA JESUS.

As pessoas clamavam para ouvir Jesus pregar e para ter suas doenças curadas, mas Jesus fazia questão de sempre se retirar para lugares solitários e quietos para orar. Muitas coisas clamam pela nossa atenção e frequentemente nós damos atenção a elas. Assim como Jesus, no entanto, devemos tirar um tempo e ir para um lugar quieto para orar. A força vem de Deus, e nós só podemos obtê-la passando um tempo com ele.

 

 

RESSURREIÇÃO

Estudo Comentário

 

COMENTÁRIOS BÍBLICOS - ESBOÇO

Fonte: Ilumina (Adaptado)

RESSURREIÇÃO

 

A RESSURREIÇÃO DE JESUS

 

 

QUAL A IMPORTÂNCIA DA RESSURREIÇÃO DE JESUS PARA A Fé CRISTÃ?

 

LEITURA BÍBLICA: Mateus 28:1-10

VERSÍCULO CHAVE: Mas o anjo disse às mulheres: Não temais vós; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. Não está aqui, porque ressurgiu, como ele disse. Vinde, vede o lugar onde jazia; (Mateus 28:5-6)

 

 

A RESSURREIÇÃO DE JESUS É O ALICERCE DA FÉ CRISTÃ.

A ressurreição é a chave para a fé cristã. Porque? (1) Como ele havia prometido, ele ressurgiu dos mortos. Nós podemos estar confiantes, portanto, que ele cumprirá tudo que ele prometeu. (2) A ressurreição do corpo nos mostra que o Cristo vivo é soberano no reino eterno de Deus, não um falso profeta ou impostor. (3) Nós podemos ter certeza de nossa ressurreição porque ele foi ressuscitado. A morte não é o fim, existe a vida após a morte. (4) O poder que trouxe Jesus de volta a vida está disponível para nós trazermos o nosso ser espiritual morto de volta a vida. (5) A Ressurreição é à base do testemunho da igreja para o mundo. Jesus é mais que um líder humano, ele é o Filho de Deus.

 

LEITURA BÍBLICA: 1 Coríntios 15:1-11

VERSÍCULO CHAVE: Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras; (1 Coríntios 15:3-4)

 

A RESSURREIÇÃO É O PONTO DECISIVO DA FÉ CRISTÃ

Sempre haverá pessoas dizendo que Jesus não ressurgiu dos mortos. Paulo nos garante que muitas pessoas viram Jesus depois de sua ressurreição: Pedro, o discípulo (os Doze), Mais de quinhentos crentes (a maioria ainda estavam vivos quando Paulo escreveu isto), Thiago (irmão de Jesus), todos os apóstolos e finalmente Paulo em si. A Ressurreição é um fato histórico. Não seja desencorajado por pessoas que negam a Ressurreição. Seja cheio de esperança, pois um dia todos virão a prova viva quando Jesus voltar.

 

NOSSA RESSURREIÇÃO

O QUE A BÍBLIA NOS ENSINA SOBRE A NOSSA RESSURREIÇÃO?

 

LEITURA BÍBLICA: 1 Coríntios 15:12-28

VERSÍCULO CHAVE: Ora, se prega que Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, como dizem alguns entre vós que não há ressurreição de mortos?

 

 

A NOSSA RESSURREIÇÃO INCLUI O NOSSO CORPO E A NOSSA ALMA.

A maioria dos gregos não acreditavam que o corpo de uma pessoa poderia ser ressuscitado depois da morte. Eles viam a vida após a morte como algo só para a alma. De acordo com filósofos gregos, a alma era a pessoa de verdade presa a um corpo físico, e na morte a alma era liberta. Não havia imortalidade para o corpo, mas a alma entrava num estado eterno. O cristianismo, no entanto, afirma que o corpo e a alma serão unidos depois da ressurreição. A igreja de Corinto estava no coração da cultura grega, desta maneira, muitos crentes tinham dificuldade em acreditar na ressurreição do corpo.

 

 

NOSSA RESSURREIÇÃO É CERTA POR CAUSA DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO.

A ressurreição de Cristo é o centro da fé cristã. Porque Cristo ressuscitou, como ele havia prometido, nós sabemos que o que ele disse é a verdade – ele é Deus. Porque ele ressuscitou, nós temos certeza que nossos pecados são perdoados. Porque ele ressuscitou, ele vivi e nos representa perante Deus. Porque ele ressuscitou e venceu a morte, sabemos que nós também ressuscitaremos.

 

A NOSSA RESSURREIÇÃO É A NOSSA ÚNICA ESPERANÇA PARA A VIDA ETERNA.

Nos dias de Paulo, o cristianismo levava a pessoa à execução, exclusão da família e, em muitos casos, a pobreza. Havia pouca vantagem em ser cristão naquela sociedade. O mais importante, no entanto, é que se Cristo não tivesse ressuscitado, os cristãos não poderiam ser perdoados pelos seus pecados e não teriam nenhuma esperança de vida eterna.